Anúncios

Coisas Interessantes – Bactérias do bem


bacteria

Elas ganharam péssima fama por serem especialistas em causar doenças e produzir toxinas. Mas a utilização de bactérias em situações para lá de inusitadas — e benéficas — passou a ocupar a cabeça dos cientistas da área de biotecnologia. Eles já descobriram que algumas delas conseguem conduzir eletricidade, enquanto outras servem como proteção contra altas doses de radiação. Muitas ajudam a dar sabor a alimentos e, no futuro, haverá aquelas capazes de encarar uma faxina em roupas autolimpantes. Estudos dentro desse campo devem ganhar força nos próximos anos.

O potencial desses micro-organismos ainda está sendo descoberto, e o mercado de tecnologias baseadas em bactérias tem crescido. “Tradicionalmente, a biotecnologia foca o setor de saúde, mas essa visão está se diversificando”, diz Tim Hart, gerente de desenvolvimento de negócios da Isis Enterprise, parte da Isis Innovation, uma companhia de transferência de tecnologia da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Segundo ele, as bactérias podem ser utilizadas em atividades ambientais, industriais e inclusive em sensores biológicos em nanoescala.

Para Hart, o desenvolvimento de alimentos funcionais (que supostamente fazem bem à saúde) e probióticos (que introduzem seres vivos benéficos no organismo humano) está avançando. “Estamos muito próximos de chegar ao mercado de consumo de larga escala.”

Um dos exemplos é o lactobacilo. No começo do ano, Jeremy Nicholson e sua equipe do Imperial College, em Londres, deram um tipo de lactobacilo a ratos cujos micróbios intestinais haviam sido substituídos pelos que vivem nos intestinos humanos. Os pesquisadores descobriram que os lactobacilos alteraram a composição da bile, aumentando a proporção de enzimas que reduzem a quantidade de gordura absorvida pelo corpo. Acrescentar essas bactérias aos alimentos pode, um dia, ajudar na cura da obesidade.
Bacterias-do-bem

De biocombustíveis a cosméticos

Devido ao enorme potencial da aplicação de bactérias em diferentes áreas, grandes empresas estão dispostas a unir forças com biocientistas. Uma das instituições que nasceram dessa colaboração é o Centro de Excelência para Biocatálise, Biotransformações e Manufatura Biocatalítica (CoEBio3) da Universidade de Manchester. A entidade foi criada para estimular pesquisas sobre processos de biocatalização (uso de micro-organismos para acelerar reações químicas) para a indústria.

“Estamos trabalhando junto com empresas como a AstraZeneca, a Pfi zer, a Basf e a Shell para criar bactérias que produzam certos produtos químicos”, afirma Nicholas Turner, diretor do CoEBio3. Uma das mais promissoras subáreas dessa ciência é a de biocombustíveis, na qual bactérias são usadas para converter biomassa em bioetanol e biodiesel de altíssima qualidade em larga escala. “Mas também trabalhamos no desenvolvimento de cosméticos, sabores e fragrâncias”, diz.

Mesmo para os pesquisadores que preferem ficar nas universidades, não faltam ofertas de financiamento. No Reino Unido, parte dos recursos vem do Conselho de Pesquisa de Biotecnologia e Biociências (BBSRC). A entidade criou o Clube da Indústria de Pesquisas em Bioprocessamento (Bric), uma parceria de 14 milhões de libras entre a entidade, o Conselho de Pesquisas de Engenharia e Ciências Físicas (EPSRC) e um consórcio de empresas que inclui nomes como a Pall Life Sciences e a GlaxoSmithKline. O objetivo é patrocinar estudos inovadores de biotecnologia em várias universidades.

Empresas imaginárias

Já os que preferem assumir desafios científicos por conta própria costumam se associar a iniciativas como o britânico Programa para Jovens Empreendedores da Biotecnologia (Biotechnology YES). Os participantes aprendem com profi ssionais renomados sobre os múltiplos aspectos da transferência de tecnologia e da comercialização. Em seguida, é organizada uma competição na qual os cientistas devem criar uma startup de biotecnologia imaginária e apresentar sua ideia a uma banca de jurados.

Entre os vencedores da competição está Martin Wickham, pesquisador do Instituto de Pesquisas de Alimentos de Norwich, que está tentando transformar sua invenção — um spray de probióticos para prevenir infecções causadas por uma bactéria resistente a antibióticos, o MRSA — em uma empresa real.

Parece haver consenso de que a demanda por profissionais com habilidades na área de biotecnologia vai aumentar. “Há um grande interesse em biologia sintética, como o desenvolvimento de uma bactéria capaz de produzir medicamentos”, diz Jeff Errington, diretor do Instituto de Biologia Celular e Molecular da Universidade Newcastle. “Nas últimas décadas, entretanto, os cientistas deixaram o campo da bioengenharia para se dedicar a bactérias patogênicas. Isso significa que falta gente para trabalhar.”

Da criação de biocombustíveis até a limpeza de lixo tóxico, micro-organismos agora estão sendo analisados e manipulados para solucionar problemas de modo ecologicamente correto e econômico. E não são poucas as oportunidades para cientistas interessados em colaborar com essa área.

chip bacteriaMICROESCRAVOS FAZEM CHIPS

A equipe de Jan Liphardt, da UC Berkeley, Estados Unidos, quer criar bactérias escravas para ajudar a produzir microchips em nanoescala. Elas teriam só o genoma necessário para desempenhar algumas tarefas.

DE VILÃ A HEROÍNAradiacao bacteria

Cientistas do Instituto do Câncer Roswell Park, nos Estados Unidos, descobriram que a salmonela (causadora de intoxicações alimentares) pode proteger contra a radiação. O segredo é uma proteína presente no flagelo da bactéria.

roupas limpas bacteriaROUPAS LIMPÍSSIMAS

É possível que, no futuro, o tecido das roupas contenha variantes de E. coli, desenvolvidas para comer as proteínas do suor que causam mau cheiro. A evolução dessa tecnologia poderia resultar em vestimentas autolimpantes.

Fonte: Info On-line

By: Áulus Silva

Anúncios
Categorias: Coisas Interessantes | Tags: , | 1 Comentário

Navegação de Posts

Uma opinião sobre “Coisas Interessantes – Bactérias do bem

  1. caroline

    eu achei muito legal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: