Anúncios

Geografia

Ciências – Descoberto que planeta é formado de diamante

Pesquisadores descobriram que um planeta duas vezes maior do que a Terra é composto de diamante. Segundo astrônomos da Nasa, o corpo rochoso, chamado “55 Cancri E”, orbita uma estrela visível a olho nu e “um ano” lá dura apenas 18 horas, devido à rápida movimentação. O planeta foi descoberto em 2004 por uma equipe de pesquisa franco-americana, que fez cálculos para estimar a sua massa e o seu raio.

Os resultados revelados agora são de que o planeta tem raio duas vezes maior que o da Terra, mas é muito mais denso, com uma massa oito vezes maior. Também é quente, com temperaturas em sua superfície que atingem 1.648 graus Celsius. “A superfície deste planeta é provavelmente coberta de grafite e diamante em vez de água e granito”, disse o pesquisador Nikku Madhusudhan, de Yale, cujas conclusões deverão ser publicadas no “Letters Astrophysical Journal”. O estudo, feito com Olivier Mousis do Institut de Recherche en Astrophysique et Planetologie em Toulose, na França, e os cientistas envolvidos na pesquisa acreditam que pelo menos um terço da massa do 55 Cancri é feito de diamante. Essa quantidade equivale a três massas do nosso planeta.

Antes dessa descoberta, os astrônomos imaginavam que essa superterra tinha um núcleo coberto por uma camada de água e que estava em forma de um vapor espesso por causa das temperaturas extremas. Agora, eles já sabem que não há água no planeta, mas diamante.

Para chegar a essa conclusão sobre a composição química de 55 Cancri, os pesquisadores usaram modelos para calcular as possíveis combinações de elementos que produziriam as características do planeta. Apesar da composição atual, havia mais carbono que oxigênio, além de água em forma de gelo.

Anúncios
Categorias: Ciência, Geografia, Pesquisas | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , | 1 Comentário

Curiosidades – O que é Diáspora

O termo diáspora (em grego antigo, διασπορά – “dispersão“) define o deslocamento, normalmente forçado ou incentivado, de grandes massas populacionais originárias de uma zona determinada para várias áreas de acolhimento distintas. Em termos gerais, diáspora pode significar a dispersão de qualquer povo ou etnia pelo mundo. Vamos para alguns exemplos de grandes diásporas:

A maior diáspora que se tem conhecimento foi a diáspora africana, também chamada de Diáspora Negra que foi o fenômeno sociocultural e histórico que ocorreu em países além África devido à imigração forçada, a África teve seu povo e suas terras invadidas pelas potências estrangeiras, que incitavam brigas entre tribos para trocar seus prisioneiros por especiarias. Antes da escravização dos africanos, a maior parte dos territórios africanos era governada por seus próprios reis, rainhas, chefes de clãs e de linhagens, em impérios, reinos, comunidades e unidade políticas de porte e natureza diversas. As sociedades africanas tinham suas religiões, cultuavam suas divindades e apresentavam uma boa organização familiar. Essa diáspora foi motivada por fins escravagistas mercantis que perduraram da Idade Moderna ao final do século XIX.

O tráfico de seres humanos para o outro lado do Atlântico foi, por séculos, uma das mais rentáveis atividades do mundo mercantilista, a ponto de se tornar impossível precisar o número exato de africanos que foram arrancados de seu habitat natural para servir de mão de obra forçada em outros continentes.

A diáspora negra foi grande responsável por a mistura de culturas e etnias no Brasil.

Categorias: Geografia, História, Pesquisas | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , | Deixe um comentário

Curiosidades – O Vírus que mata 80% dos humanos que infecta.

O ebola foi primeiramente descoberto em 1976 por uma equipe comandada por Guido Van Der Groen, chefe do laboratório de Microbiologia do Instituto de Medicina Tropical de Antuérpia, na Bélgica.

Desde a sua descoberta, diferentes estirpes do Ebola causaram epidemias com 50 a 90% de mortalidade na República Democrática do Congo, Gabão, Uganda e Sudão. A segunda epidemia ocorreu em 1979, quando 80% das vítimas morreram. Em maio de 1995, a cidade de Mesengo, a cem e ciquenta quilômetros de Kikwit, no Zaire, foi atingida pelo vírus, que matou mais de cem pessoas. Há suspeitas de casos no Congo e no Sudão. O primeiro desse tipo de vírus apareceu em 1967, foi o Marburg, a partir de células dos rins de macacos verdes de Uganda.

O ebolavirus é um filovírus (o outro membro desta família é o vírus Marburg), com forma filamentosa, com 14 micrômetros de comprimento e 80 nanômetros de diâmetro. O seu genoma é de RNA fita simples de sentido negativo (é complementar à fita codificante). O genoma é protegido por capsídeo, é envelopado e codifica sete proteínas.

Há três estirpes: Ebola–Zaire (EBO–Z), Ebola–Sudão (EBO–S) com mortalidades de 83% e 54% respectivamente. A estirpe Ebola–Reston foi descoberta em 1989 em macacos Macaca fascicularis importados das Filipinas para os EUA tendo infectado alguns tratadores por via respiratória. O período de incubação do vírus ebola dura de 5 a 7 dias se a transmissão for parenteral e de 6 a 12 dias se a transmissão foi de pessoa a pessoa. O início dos sintomas é súbito com febre alta, calafrios, dor de cabeça, anorexia, náusea, dor abdominal, dor de garganta e prostração profunda. Em alguns casos, entre o quinto e o sétimo dia de doença, aparece exantema de tronco, anunciando manifestações hemorrágicas: conjuntivite hemorrágica, úlceras sangrentas em lábios e boca, sangramento gengival, hematemese (vômito com presença de sangue) e melena (hemorragia intestinal, em que as fezes apresentam sangue). Nas epidemias observadas, todos os casos com forma hemorrágica evoluíram para morte. Nos períodos epidêmicos e de surtos, a taxa de letalidade variou de 50 a 90%. Seu contágio pode ser por via respiratória, ou contato com fluidos corporais de uma pessoa infectada.

A infecção pelo vírus ebola produz febre hemorrágica. A incubação pode durar de 5 a 12 dias. O vírus multiplica-se nas células do fígado, baço, pulmão e tecido linfático onde causa danos significativos. A lise (destruição) das células endoteliais dos vasos sanguíneos leva às tromboses e depois hemorragias.

Os primeiros sintomas são inespecíficos como febre alta, dores de cabeça, falta de apetite, e conjuntivite (inflamação da mucosa do olho). Alguns dias mais tarde surge diarreia, náuseas e vômitos (por vezes com sangue), seguidos de sintomas de insuficiência hepática, renal e distúrbios cerebrais com alterações do comportamento devido à coagulação intravascular disseminada com enfartes nos órgãos. O estágio final é devido ao esgotamento dos fatores sanguíneos da coagulação, resultando em hemorragias extensas internas, edema generalizado e morte por choque hemorrágico. As fezes são geralmente pretas devido às hemorragias gastrointestinais e poderá haver ou não sangramento do nariz, ânus, boca e olhos. Dependendo da sua estirpe, há casos de hemorragias na derme, ocasionando o sangramento pelos poros do corpo. A morte surge de 1 dia á duas semanas após o inicio dos sintomas.

A taxa de mortalidade da doença e o tempo para o falecimento de uma pessoa, depende da estirpe do vírus e do estado de saúde das populações afetadas. Em geral, o ebola mata suas vítimas em poucos dias, podendo levar até 9 dias, e a mortalidade pode variar de 50% a 90%.

O diagnóstico é feito pela observação direta do vírus com microscópio eletrônico em amostra sanguínea ou por detecção com imunofluorescência de antigênios.

Não há vacina, cura, nem tratamentos eficazes. Os doentes devem ser postos em quarentena e os familiares devem ser impedidos de ter qualquer forma de contato com o doente, ou mesmo de tocar o corpo após o falecimento. Devem ser administrados cuidados básicos de suporte vital como restabelecimento de eletrólitos e fluidos perdidos, além de possíveis tratamentos paliativos.

Richard Preston, autor de The Hot Zone, um best-seller sobre o Ebola, descreve em detalhes tenebrosos como o vírus começa a digerir o tecido interior do corpo. “Literalmente abertura em todos os sangramentos do corpo, não importa quão pequeno”, escreve ele.

FONTE

Categorias: Biologia, Ciência, Coisas Interessantes, Curiosidades, Geografia, Pesquisas, Procedimentos Médicos, Química | Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , | 3 Comentários

Curiosidades – Todo ano, quase 3,5 Milhões de terremotos sacodem a terra

A cada ano se registram quase 3,5 milhões de terremotos no mundo, sendo mil de magnitude superior aos 5 graus na escala aberta de Richter.

Estes foram os terremotos mais graves no mundo desde 1990:

21 de junho de 1990 – Noroeste do Irã: Mais de 60 mil mortos no terremoto de 7,5 graus na escala Richter, a catástrofe natural mais grave do último século no país, segundo fontes médicas de Teerã.

16 de julho de 1990 – Manila e várias províncias de Luzon (Filipinas) são abaladas por um tremor de 7,7 graus, que deixa 1.597 mortos.

20 de outubro de 1991– Uttar Pradesh, norte da Índia: cerca de 2 mil mortos em conseqüência de um terremoto de 6,1 graus.

22 de março de 1992 – Leste da Turquia: mil vítimas e 50 mil pessoas desabrigadas por causa de um abalo de 6,3 graus.

13 de dezembro de 1992 – Ilha de Flores (Indonésia): 2.500 mortos no terremoto de 7,5 graus.

30 de setembro de 1993 – Estado de Maharashtra (Índia): 7.601 mortos e 15.846 feridos no terremoto de 6,4 graus, o mais devastador sofrido pelo país desde sua independência, em 1947.

17 de janeiro de 1995 – Cidade de Kobe, oeste do Japão: 6.400 vítimas fatais num tremor de 7,2 graus.

28 de maio de 1995 – Neftegorsk, norte da ilha de Sakhalina (extremo leste da Rússia): 1.989 mortres num tremor de 7,5 graus.

28 de fevereiro de 1997 – Noroeste do Irã: Um terremoto de 5,5 graus causa mil mortes.

10 de maio de 1997 – Leste do Irã, especialmente a província de Khorasan: pelo menos 1.560 mortos num terremoto de 7,1 graus.

4 de fevereiro de 1998 – Distrito de Rustaq, norte do Afeganistão: pelo menos 4.400 pessoas morrem devido a um terremoto de 6,1 graus. Três dias depois, outro, de 6 graus, mata 250 pessoas na mesma região.

30 de maio de 1998 – Província de Tajar, nordeste do Afeganistão: mais de 5 mil mortes após um terremoto de 7,1 graus.

18 de julho de 1998 – Costa norte de Papua-Nova Guiné: um maremoto, com ondas de dez metros de altura, causa pelo menos 3 mil mortes.

25 de janeiro de 1999 – Oeste da Colômbia: mais de 1.100 mortos em razão de um terremoto de 6,2 graus, que teve até 14 réplicas.

17 de agosto de 1999 – Noroeste da Turquia, incluindo Istambul: mais de 17 mi mortos e 30 mil feridos por causa de um terremoto de 7,4 graus.

20 de setembro de 1999 – Taiwan, com epicentro em Puli, no centro da ilha: 2.412 mortos e 9 mil feridos, no pior abalo da história do país, que teve uma intensidade de 7,6 graus.

26 de janeiro de 2001 – Estado de Gujarat (noroeste da Índia): pelo menos 15.500 mortos num tremor de 6,9 graus com epicentro em Bhuj.

21 de maio de 2003 – Argélia: Um tremor de 5,8 graus Richter deixa 2.273 mortos, 10.243 feridos e mais de mil desaparecidos. O abalo afeta também a Espanha, provocando maremotos nas Baleares, Alicante e Almería.

26 de dezembro de 2003 – Sudeste do Irã: um terremoto de 6,3 graus mata 26.271 pessoas na cidade de Bam, destruindo 70% das casas e deixando sem lar dois terços dos mais de 200 mil habitantes.

26 de dezembro de 2004 – Ilha de Sumatra (Indonésia): um terremoto de 8,9 graus Richter, com epicentro em Aceh, causa mais de 280 mil mortes em 12 países da Ásia e África. O tsunami provocado varreu extensas zonas litorâneas. Os países com mais vítimas foram Indonésia (121.219) Sri Lanka (pelo menos 39 mil) Índia (cerca de 11 mil), Tailândia (pelo menos 5.313, sendo 2.171 estrangeiros).

28 de março de 2005 – Indonésia: cerca de 1.300 mortos após um terremoto de 8,7 graus em frente à costa da ilha de Nias, a oeste de Sumatra.

8 de outubro de 2005 – Caxemira, fronteira entre Paquistão e Índia: cerca de 86 mil mortos e 40 mil feridos após um terremoto de 7,6 graus com epicentro no lado paquistanês da divisa. Do lado indiano, mil mortos.

27 de maio de 2006 – Java (Indonésia): terremoto de 6,2 graus deixa saldo de pelo menos 6.234 mortos, 20 mil feridos e 340 mil desabrigados.

17 de julho de 2006 – Java: terremoto de 7,7 graus provoca um tsunami que mata 596 pessoas.

12 de janeiro de 2010 – HAITI – um terremoto de magnitude 7,0 – 250 mil pessoas foram feridas, 1,5 milhão de habitantes ficaram desabrigados e o número de mortos ultrapassou 200 mil.

27 de fevereiro de 2010 – Chile – um terremoto de 8,8 graus atingiu o centro-sul do Chile. Em seguida, outros tremores foram registrados – de magnitudes que variaram entre 5,2 e 6,9 graus na escala Richter. O terremoto desencadeou um tsunami, que provocou ondas que invadiram até 300 metros de terra firme.

Categorias: Coisas Interessantes, Curiosidades, Geografia, Pesquisas | Tags: , , , , | 1 Comentário

Fique Ligado – faça o download das provas e gabarito do ENEM que vazou!

enem-2009O MEC Disponibilizou as provas qua vazaram na internet, e como não perdemos tempo, colocamos aqui para você fazer o download das provas do ENEM 2009

Prova do Primeiro dia de ENEMLink alternativo

Prova do Segundo dia de ENEMLink alternativo

Download do GabaritoLink alternativo

Fazendo o download da prova 2009 você fica mais preparado para a prova que será feita daqui a mais ou menos 45 dias!

Faça o Download das provas do ENEM 2009, que vazaram, mais o gabarito!

By: Áulus Silva

Categorias: Biologia, Ciência, Física, Filosofia, Fique Ligado!, Geografia, História, Matemática, Pesquisas, Português, Química | Tags: , , , , , , | 3 Comentários

%d blogueiros gostam disto: